Seguidores

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Meu país - Zezé de Camargo e Luciano.wmv BRASIL! EM SE PLANTADO TUDO DÁ



BRASIL! EM SE PLANTADO TUDO DÁ


Nesta terra, em se plantando, tudo dá!
Já dizia Pero Vaz de Caminha...
Eu digo mais, o que se planta, é o que se colhe...
Plante ódio, e o colherá...
Plante amizade, e a colherá...
Plante mágoas, e as colherá...
Plante paz, e a colherá...
Plante silêncio, e o colherá...
Plante diálogo, e o colherá...
Pra tudo serve desde "Caminha"...
Plante Lula, e colherá Dilma...
Portanto...
Cultive as boas amizades, os amigos, os irmãos...
Independentemente de tudo o que se passa na passageira vida...
Há tempo!
Em tempo, essa terra (nosso corpo e mente)
é fértil e de bons "ares" basta semente boa, e os colherá...
Elmar Santos



A expressão “em se plantando tudo dá” remete à Carta escrita em 1º de maio de 1500 por Pero Vaz de Caminha ao rei Dom Manuel, contando sobre a nova terra. A Carta, documento considerado de fundação do Brasil, só seria publicada em 1817. O que se lê na Carta, no entanto, é:
“Nela, até agora, não pudemos saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou ferro; nem lho vimos. Porém a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados, como os de Entre Doiro e Minho, porque neste tempo de agora os achávamos como os de lá.
Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que tem.” (Carta de Pero Vaz de Caminha)
Desse fragmento é que nasceu o “em se plantando tudo dá”, expressão usada até hoje e que designa que a terra era fértil.



SAIBA MAIS

   O enunciado “Em se plantando, tudo dá” é de autoria de Pero Vaz de Caminha, o escrivão que acompanhou Pedro Álvares de Cabral, em 1500. Consta na carta dirigida ao rei D. Manuel, de Portugal, dando informações sobre a viagem e impressões sobre a terra “descoberta”: o Brasil.
Às conclusões a que chegou sobre a nova terra tiveram origem no solo fértil das florestas densas e frondosas, nos rios limpos e repletos de peixes e no clima saudável e agradável aqui reinante. Era só olhar para os indígenas, na sua naturalidade, corpos sarados e sadios e perceber a graça exposta sem vergonha e constrangimentos.
Diante de tudo isso, foi fácil insculpir no papiro real: – Majestade, pode ordenar o início das plantações de tudo o que existe, de Norte a Sul, de Leste a Oeste, porque, ali, na nova terra, em se plantando, tudo dá, não importa o lugar.

Agora, da janela do quarto do meu apartamento, vejo, ao longe, de forma inusitada, a concretização do registro histórico de Caminha, nos tempos atuais. Vejo uma horta plantada à beira estrada, entre o meio fio e o barranco, em uma longa faixa, com a largura de meio metro a um metro e meio. É na Rua Piratuba, em Indaial, no bairro Rio Morto, bem seja dito, não há saída, portanto, a movimentação de carros e pedestres não é tão intensa quanto em outras ruas.
Se de longe havia dúvidas quanto à veracidade e beleza das hortaliças, fui conferir de perto: havia, ali: chás, temperos verdes, couves, nabos, cenouras e beterrabas; todos viçosos e lindos, dando água na boca só em pensar tê-los à mesa. Não sei quem os plantou e quem cuida deles. Há um prédio com alguns apartamentos no outro lado da rua. Certamente, mora ali a pessoa cuidadora da horta beira-estrada. Não vi, mas tenho a impressão de que uma senhora, relativamente idosa, repleta de benevolências, é responsável pelo trabalho e capricho. Não tem nada demais nisso, é só plantar.



    Mas não é só isso. Já vi plantas nascerem e crescerem nos mais diferentes lugares. Vi um pé de palmito no telhado de uma casa entre musgos e telhas; uma figueira sobre uma pedra gigante; uma samambaia na fenda de uma rocha, sem contar os liquens nos fios elétricos tão frequentes em Ibirama e nem foi preciso plantá-los.
Pois é, caro leitor! São espécies que foram plantadas pelas mãos dos homens, ou pela própria natureza, assim como a horta à beira do barranco, na Rua Piratuba. Estas e tantas outras plantas estavam no script de Pero Vaz de Caminha. Basta plantar, pois aqui tudo dá.
É evidente que há outras formas de plantar e que também, em se plantando, tudo dá, mesmo que o escrivão de Cabral não tenha feito alusão a elas. Refiro-me à plantação de palavras. Plantar palavras é como plantar cafezais, canaviais, laranjais e tantas outras culturas. As palavras ficam enfileiradas tão bem organizadas como as grandes áreas de culturas, pé a pé, até se perderem de vista e formarem páginas e mais páginas de romances, contos, crônicas, peças de teatro e poemas.
Todavia, no início não foi assim. Apareceram textos em jornais, revistas e depois de algum tempo em livros. Escritores de Ibirama e também de Presidente Getúlio plantaram livros. Os primeiros nasceram humildes, simples, finos e mesmo na sua simplicidade conquistaram leitores, muitos de perto e poucos de longe. Com o tempo passando, adquiriram estilo e se transformaram em clássicos da literatura e foram se espalhando pelo Estado e pelo País. Embora poucos saibam, aconteceram premiações e reconhecimento de escritores insignes e críticos literários conceituados. Sim, a colheita foi farta.
Agora, na terra, onde em se plantando, tudo dá, novamente estão germinando as sementes, já com as primeiras folhas aparecendo à luz do astro-maior: a Academia de Letras do Brasil – Seccional de Ibirama. Isto foi possível devido a um trabalho conjunto, como afirma a Presidente da Academia, a imortal Apolônia Gastaldi, embora se saiba que sem os esforços e dedicação desta renomada e incansável escritora, nada teria acontecido. Reconhece-se também a colaboração do Grupo de Apoio à academia, que sempre presente e atuante foi partícipe do evento.
    Ibirama, como muitos já afirmaram, é uma cidade pequena, pacata e humilde, rodeada de montanhas e por isso cunhada de cidade fechada. Poderia ser uma cidade qualquer, mas não é. Aqui se planta e aqui se colhe com fartura. Assim é no futebol, no ciclismo, no atletismo, na cultura e em tantas outras áreas. Compete-se de igual por igual com cidades de porte muito superior a nossa.
Com a fundação da Academia de Letras do Brasil, Ibirama foi notícia no país inteiro, pois aqui esteve o Presidente Nacional da Academia de Letras do Brasil, o Prof. Dr. Mário Roberto Carabajal, acompanhado do Presidente Estadual, Prof. Dr. Miguel João Simão e muitos escritores e poetas de outras cidades. Agora se tem a convicção de que haverá motivação bastante para produzir mais ainda, isto é, plantando palavras, palavras, palavras, como se fossem laranjeiras, pereiras, pessegueiros e abacateiros; ou plantando laranjeiras, pereiras, pessegueiros e abacateiros, como se fossem romances, contos crônicas, peças de teatro e poemas, pois há a certeza de que aqui tudo dá. Sim, aqui tudo dá! Alguém duvida disso?


   Como vimos, Já dizia Pero Vaz de Caminha "aqui tudo o que se planta dá". Porque muitos passam fome no Brasil?
Dá para entender que em muitos países haja fome e pobreza. Pois as terras de lá não são muito generosas, existe desertos, rios que não produzem nada de peixes, como   é  o caso de muitos países da Asia e África. Mas como entender isto no Brasil? Até parece que aqui as pessoas são privadas de produzir para viver se o seu produto não estiver nos "conformes" de uma minoria que manda e desmanda no país.

A FOME E A MISÉRIA NO BRASIL É SIMPLESMENTE ESTÚPIDA E RIDÍCULA, INÁCEITÁVEL, POIS O PAÍS TEM ÁGUAS E TERRAS MUITO GENEROSAS, COM O MAIOR POTENCIAL PRODUTIVO DO MUNDO.





Fontes:
http://historiasdagentebrasileira.com.br/site/em-se-plantando-tudo-da/
http://www.harrywiese.pro.br/modulos/infocronicas.php?id=87
Pesquisa e organização da postagem: Profª Lourdes Duarte.

30 comentários:

  1. Uauuuu uma bela e significativa aula de História, de vida e de amor à terra que se plantando tudo dá. É, realmente, numa terra tão fértil não dá para entender tanta gente passando fome. Adorei o texto!
    Beijos e uma semana de paz!

    ResponderExcluir
  2. querida Elza:
    que maravilhosa reflexão !!
    cheia de verdades e realmente para se pensar !!
    outro dia vi uma reportagem que o Brasil é o país no mundo que mais água tem !!
    já pensou nisso? que estamos fazendo com toda essa benção ?
    ao invés de plantarmos árvores pela cidade, uma grande parte da população tem horror de folhas caindo pela calçada ou calhas.
    Tivemos um prefeito por aqui chamado Jaime Lerner, que dizia que precisamos resolver o problema local, que o global então se resolve automaticamente. Se todo mundo plantasse uma árvore que fosse e cuidasse dela, grande parte do problema de aquecimento global poderia se resolver. Pois ao cuidar de uma árvore, tomamos consciência do tempo que ela leva para crescer !!
    são anos!! e para cortar é um instante!!
    gostei muito da sua comparação com as palavras e a arte de escrever !!
    é muito bom a gente vir aqui e refletir com suas sábias colocações !!
    grande abraço e boa semana !!
    :o)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida Eliane, sempre com informações importantes em seus comentários. Seja sempre bem vinda. Obrigada! Bjus

      Excluir
  3. Que aula maravilhosa,Elza. E com imagens! Amei!

    Graças a Deus os seguidores voltaram ao normal.
    Importante!Exclua o provisório como eu fiz ,mas deixe salvo no pc para qualquer eventualidade!

    Já até postei um novinho!

    Ponha meu blog na sua lista de favoritos para receber atualizações.

    Beijos sabor carinho,linda semana e volte sempre!

    Donetzka

    ResponderExcluir
  4. Muchas gracias, me ha resultado docente e inteligente leeros. Abrazos

    ResponderExcluir
  5. Amei a postagem amiga, uma verdadeira aula com detalhes importantes a estudar e conhecer. Lindo trabalho que vocês desenvolvem nesse espaço. Parabéns! Abraços

    ResponderExcluir
  6. Bem curiosa e interessante a sua partilha!!!bj

    ResponderExcluir
  7. Adorei a postagem, proporcionou cultura, conhecimento e uma reflexão sobre o nosso país!
    Uma grande beijo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vinda Vanessa! Obrigada por seguir o blog, volte sempre. Bjus

      Excluir
  8. Um país que tanto tem a dar. Uma aula muito significativa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Paula e tantas pessoas sofrendo por faltar o básico. grata pela visita, abraços

      Excluir
  9. Hoy en mi blog tenéis una muñequita de regalo y la bienvenida que doy a todos los seguidores. Abrazos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga Ester! Fico feliz y agradecido con suyas visitas eus comentários. Serás semper bem vinda!
      Tentamos a organizarnos a través de correos de forma que seja comprensivo e informativo. É muito bem quando é aprovado. Obrigada! Tenha um dia feliz.Abraços

      Excluir
  10. Vengo a dejarte mis saludos, desde el blog de Ester… Ha sido un placer visitarte, Elza; tienes un blog muy interesante y de una gran labor…

    Bsoss, y feliz tarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ginebra, seja bem vinda! Fico feliz que gostou do blog, volte sempre. Bjus

      Excluir
  11. Boa tarde, Elza
    Que interessante e instrutiva postagem
    Amei!
    Deixo um forte abraço nesta quarta.
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde, parabéns pela belíssima e rica postagem. O vídeo de igual valor, na voz de nossos cantores maravilhosos. O texto é uma verdadeira aula de história e cultivo. Gostei muito, pois li muitas curiosidades, mesmo conhecendo a história foi bom recordar. Obrigada por compartilhar material tão rico. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida Marli, seja sempre bem vinda ao nosso espaço. Abraços

      Excluir
  13. Retribuindo a visita que muito me sensibilizou, deparo-me com um blogue muito bonito, de uma textura e beleza impar. Amei as fotos e os textos.

    Tomei a liberdade de linkar o seu blogue no meu. Querendo, gostaria de o receber e merecer que o linke do meu blogue figurasse na sua lista de blogues a visitar ( caso exista )
    .
    Meu blogue: https://brincandocomaspalavrass.blogspot.pt/
    .
    Um grande abraço poético de amizade

    ResponderExcluir
  14. Oi Elza
    Eis aqui uma reflexão profunda e peculiar
    Não há palavras para descrever a densidade do teu texto tão bem escrito que nos estimula a pensar o porquê de tanta miséria num país tão rico
    Existe entraves? Claro que sim! Mas também existe opções de crescimento e sobrevivência que independem das políticas públicas que são nulas. Um pouquinho de esforço justificará uma farta colheita
    Beijokinhas

    ResponderExcluir
  15. Bom dia
    Uma postagem cheia de coisas boas, essenciais à vida. Adorei também o texto . Muito bom para reflectir

    Bjos
    Um Domingo feliz.

    https://brincandocomaspalavrass.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida Larissa pela visita e por seguir o blog. seja bem vinda. Bjus

      Excluir